Monteiro Lobato

Biografia de Monteiro Lobato

Categorias: Biografias
Tags: , ,

Monteiro Lobato estava insatisfeito com as traduções feitas dos livros europeus para crianças, por isso começou a criar personagens bem brasileiros, dando destaque aos costumes e às lendas do folclore nacional, como exemplo podemos citar o famoso Saci-Pererê. Em suas obras o autor ainda misturava a mitologia grega, os quadrinhos e o cinema.

 

Biografia de Monteiro Lobato

José Bento Monteiro Lobato nasceu no dia 18 de abril de 1882, em Taubaté, SP.

Em 1900, se matriculou na Faculdade de Direito do Largo de São Francisco e depois de se formar ingressou no ministério público como promotor em uma cidade do Vale do Paraíba, interior de São Paulo. Alguns anos depois, em 1917, herdou de seu avô uma fazenda e tornou-se fazendeiro e editor, este último quando fundou a Editora Monteiro Lobato e Cia.

Através de uma carta enviada para o jornal O Estado de São Paulo, para a seção de Queixas e Reclamações, o autor começou a escrever para o veículo de informação citado, mas, para outra seção: a destinada aos leitores. Neste mesmo tempo o autor criou o personagem Jeca Tatu e publicou seu primeiro livro “Urupês”. Foi depois desta experiência jornalística que Monteiro Lobato fundou sua própria editora e se tornou o pioneiro nesse tipo de comércio no Brasil.

Loucura? Sonho?
Tudo é loucura ou sonho no começo. Nada do que o homem fez no mundo teve início de outra maneira – mas tantos sonhos se realizaram que não temos o direito de duvidar de nenhum.
Monteiro Lobato

O autor vendeu a fazenda e se mudou para Nova York por quatro anos, entre 1927 a 1931, onde se surpreende com a exploração dos recursos minerais. Ao retornar para o Brasil fundou o Sindicato do Ferro e a Cia. Petróleos do Brasil e passou a apoiar a extração do petróleo do subsolo brasileiro. Diante da sua revolta quanto à monopolização do petróleo por empresas privadas, escreveu o livro O escândalo do petróleo. Contudo, Monteiro Lobato foi preso durante seis meses no governo de Getúlio Vargas por debater os interesses nacionais e pela exposição a respeito da cultura nacional.

Como é do perfil de Monteiro Lobato, as suas obras literárias não poderiam conter características diferentes, como o regionalismo e a análise da realidade brasileira. Essas últimas propriedades são integrantes da escola literária que Monteiro Lobato pertence: o Pré-modernismo. No entanto, o autor era totalmente avesso ao Modernismo e suas revoluções artísticas, fato que ficou bem claro com o artigo intitulado “Paranoia ou mistificação?” em relação à exposição de Anita Malfatti em 1917.

Monteiro Lobato é reconhecido também por sua produção infantil, a qual não era explorada por autores. O primeiro livro de Monteiro Lobato lançado em 1921 foi “A menina do narizinho arrebitado”. Sua literatura voltada ao público infantil tem caráter pedagógico e sempre tem intenção de passar uma moral. No entanto, sua obra-prima infantil é o “Sítio do Picapau Amarelo“, o qual retrata em seus personagens a realidade das figuras brasileiras. A obra ficou tão conhecida que foi adaptada para a televisão.

A obra regionalista de Monteiro Lobato é “Cidades mortas“, na qual os contos retratam a região do Vale do Paraíba no início do século XX, após a decadência da economia cafeeira.

Monteiro Lobato faleceu em 1948, em São Paulo.

 

 

Principais Obras Infantis de Monteiro Lobato:

  • Reinações de Narizinho
  • Viagem ao céu e O Saci
  • Caçadas de Pedrinho e Hans Staden
  • História do mundo para as crianças
  • Memórias da Emília e Peter Pan
  • Emília no país da gramática e Aritmética da Emília
  • Dom Quixote das crianças
  • O poço do Visconde
  • Histórias de tia Nastácia
  • O Pica-pau Amarelo e A reforma da natureza
  • O Minotauro
  • Os doze trabalhos de Hércules

 

Curiosidades sobre Monteiro Lobato

1- Monteiro Lobato sempre afirmou que seu ano de nascimento era 1884, mas, na verdade, o escritor nasceu em 1882.

2- Era aluno mediano na escola. Chegou a ser reprovado na disciplina de português, mas, na universidade – onde formou-se em Direito – se mostrou um aluno brilhante.

3- Também apaixonado pela pintura, entre suas produções artísticas, o escritor tem a paisagem que desenhou para a avó, diversas caricaturas de professores do Largo São Francisco e retratos de natureza morta – de preferência cachos de banana que pudesse devorar como sobremesa;

4- Desistiu da carreira de pintor no dia em que confundiu uma caixa de aquarelas com tinta óleo, “Como pretende ser pintor um imbecil que nem distingue aquarela de óleo?”, contava.

5- No final de 1917, Lobato aceitou o ofício de escritor-jornalista e fez histórias nas publicações O Estado de S.Paulo e Revista do Brasil, da qual passou a ser dono em 1918.

6- Os livros de Lobato fizeram muito sucesso em países como Uruguai e Argentina, para onde o escritor se mudou em 1946.

7- Escreveu um livro de ficção científica chamado O Choque das Raças, onde conta o que aconteceria se um negro fosse eleito presidente dos Estados Unidos.

8- Permaneceu preso durante três meses na época do Estado Novo, período ditatorial do presidente Getúlio Vargas.

9- O Sítio do Picapau Amarelo realmente existe! Quem quiser, pode conhecê-lo na cidade de Taubaté (entre Rio e São Paulo). As visitas são gratuitas. Os turistas podem tirar fotos com os personagens, assistir a peças baseadas nas histórias do escritor, visitar o museu em homenagem a Lobato e participar de diversas outras atividades.

10- Acreditava piamente que a economia brasileira podia se desenvolver com a exportação de matérias-primas como o ferro e o petróleo. Aliás, Lobato era um grande entusiasta da exploração de petróleo no país.

Biografia de Monteiro Lobato.

Gostou do post? Compartilhe: