Frases do Barão de Itararé

Biografia e frases do Barão de Itararé

Categorias: Biografias
Tags:

Barão de Itararé foi como se auto-intitulou o jornalista gaúcho Apparício Torelly, pai do humorismo brasileiro, aí incluídos herdeiros diretos como O Pasquim  e Casseta & Planeta.

 

Biografia do Barão de Itararé

Apparício Fernando de Brinkerhoff Torelly, o Barão de Itararé, nasceu no Rio Grande do Sul, em 1895.

Em 1925 foi para o Rio de Janeiro trabalhar nos jornais O Globo e A Manhã. Já em 1926 fundou o jornal A manha, em formato tabloide, que serviu de inspiração para jornalistas e humoristas criarem, 40 anos mais tarde, o jornal O Pasquim, com os mesmos propósitos de humor crítico.

Foi nesse período que Aparício se autointitulou Barão de Itararé, mais precisamente durante a Revolução de 30. Fundou o Jornal do Povo, em 1934, que publicou a história de João Cândido, um dos marinheiros da Revolta da Chibata, de 1910. O jornal durou apenas 10 dias e resultou no sequestro e espancamento do jornalista.

Com humor sempre afiado, o Barão de Itararé retornou para a redação do jornal e colocou um aviso na porta: Entre sem bater.

“O homem que se vende sempre recebe mais do que vale.”

Participou efetivamente da política, foi militante e um dos fundadores da Aliança Nacional Libertadora. Em 1936 passou o ano na Casa de Correção, depois de ser preso pela polícia política de Getúlio Vargas.

Mas essa não foi a última vez em que ficou preso. Foi preso diversas vezes, quando Getúlio ascendeu ao poder e instaurou o Estado Novo, de 1937 até 1945.

Em 1947, candidatou-se e foi eleito vereador do Rio de Janeiro, pelo Partido Comunista Brasileiro. Mas, no final do ano, o registro do partido foi cassado e o Barão de Itararé perdeu o seu mandato.

Na década de 1950 o jornal A manha e o Barão foi viver em São Paulo. Lançou várias paródias dos almanaques tradicionais, lançando edições do Almanhaque.

Foi convidado pelo governo comunista de Pequim para uma visita. Viajou para a China e para a Moscou, em 1963.

Voltou para o Rio de Janeiro, onde permaneceu até a sua morte, em 1971, aos 76 anos.

Gostou do post? Compartilhe: