Letra da música Sistema Nervoso

Categorias: Musicas
Tags:

Sistema Nervoso é uma música antiga que meu pai costumava tocar no violão. Até procurar a letra completa para colocar aqui, eu só me lembrava de uns poucos versos…

Encontrei gravações com Wilson Batista e com Simone mas se você souber de mais algum detalhe sobre essa composição pode me contar nos comentários!

Compositores: Wilson Baptista, Roberto Roberti e Arlindo Marques Jr.

 

Sistema Nervoso

Deu uma hora, deu duas horas
O silencio em meu quarto é pavoroso
Na escuridão eu escuto os seus passos
No meu delírio, ela volta a meus braços

Ela abalou meu sistema nervoso
Ela abalou meu sistema nervoso

Ela toda noite aparece
Me beija e foge através da vidraça
No meu delírio, me levanto e abro a janela
E só o vento, o vento frio é que me abraça

Ela abalou meu sistema nervoso
Ela abalou meu sistema nervoso…

Compartilhe:

Faça um comentário »

Tradução da musica Strange Fruit gravada por Billie Holiday

Categorias: Musicas, Musicas traduzidas
Tags:

Strange Fruit” é uma música que ganhou sua mais famosa gravação na vóz de Billie Holiday. A música condena o racismo americano, especialmente o linchamento de negros que ocorriam no Sul dos Estados Unidos e em outros estados americanos.

Strange Fruit é, originalmente um poema, escrito por Abel Meeropol (professor judeu de um colégio do Bronx), sobre o linchamento de dois homens negros. Ele a publicou sob o pseudônimo de “Lewis Allan” e demorou algum tempo antes de musicá-lo.

Strange Fruit foi muito considerada na época e tornou-se o maior sucesso de vendas de Billie Holiday. Quando Billie lançou a música houve muitos conflitos raciais violentos em muitas cidades com cenas que ainda enchem o passado dos Estados Unidos de vergonha.

 

Strange Fruit

Southern trees bear strange fruit,
Blood on the leaves and blood at the root,
Black bodies swinging in the southern breeze,
Strange fruit hanging from the poplar trees.

Pastoral scene of the gallant south,
The bulging eyes and the twisted mouth,
Scent of magnolias, sweet and fresh,
Then the sudden smell of burning flesh.

Here is fruit for the crows to pluck,
For the rain to gather, for the wind to suck,
For the sun to rot, for the trees to drop,
Here is a strange and bitter crop.

 

Fruta Estranha

Árvores do sul produzem uma fruta estranha,
Sangue nas folhas e sangue nas raízes,
Corpos negros balançando na brisa do sul,
Frutas estranhas penduradas nos álamos.

Cena pastoril do valente sul,
Os olhos inchados e a boca torcida,
Perfume de magnólias, doce e fresca,
Então o repentino cheiro de carne queimando.

Aqui está a fruta para os corvos arrancarem,
Para a chuva recolher, para o vento sugar,
Para o sol apodrecer, para as árvores derrubarem,
Aqui está a estranha e amarga colheita.

 

Samuel Grafton do The New York Post, disse sobre Strange Fruit: “Se a ira dos explorados já foi além do suportável no Sul, agora existe a sua Marseillaise”.

Compartilhe:

Deixe a sua opinião nos comentários »