Poema Embriague-se de Charles Baudelaire

Poema Embriague-se de Charles Baudelaire

Veja o poema Embriague-se de Charles Baudelaire, que nasceu em 1821 e morreu em 1867.

Ele foi um grande poeta e teórico francês, é considerado um dos precursores do simbolismo e é reconhecido como um dos fundadores da tradição poética moderna, mas também é relacionado com muitas outras escolas artísticas.

Para não serem os escravos martirizados do Tempo, embriaguem-se. Embriaguem-se sem descanso. Com vinho, poesia ou virtude… A escolher. – Fragmento do poema Embriague-se de Baudelaire

Aqui você vai ver a versão original do poema de Baudelaire, Enivrez-vous, em francês, e logo abaixo a sua tradução para português, Embriague-se. No fim da pagina tem um vídeo com o poema sendo declamado por Aldo Bastos. Aproveite!

Veja também o poema As Litânias de Satã, de Baudelaire.

Enivrez-vous – em francês

Il faut être toujours ivre. Tout est là: c’est l’unique question. Pour ne pas sentir l’horrible fardeau du Temps qui brise vos épaules et vous penche vers la terre, il faut vous enivrer sans trêve.

Mais de quoi? De vin, de poésie ou de vertu, à votre guise. Mais enivrez-vous.

Et si quelquefois, sur les marches d’un palais, sur l’herbe verte d’un fossé, dans la solitude morne de votre chambre, vous vous réveillez, l’ivresse déjà diminuée ou disparue, demandez au vent, à la vague, à l’étoile, à l’oiseau, à l’horloge, à tout ce qui fuit, à tout ce qui gémit, à tout ce qui roule, à tout ce qui chante, à tout ce qui parle, demandez quelle heure il est et le vent, la vague, l’étoile, l’oiseau, l’horloge, vous répondront: Il est l’heure de s’enivrer!

Pour n’être pas les esclaves martyrisés du Temps, enivrez-vous; enivrez-vous sans cesse! De vin, de poésie ou de vertu, à votre guise.

Fim do poema

Embriague-se – em português

É preciso estar sempre embriagado. Aí está: eis a única questão. Para não sentirem o fardo horrível do Tempo que verga e inclina para a terra, é preciso que se embriaguem sem descanso.

Com quê? Com vinho, poesia ou virtude, a escolher. Mas embriaguem-se.

E se, porventura, nos degraus de um palácio, sobre a relva verde de um fosso, na solidão morna do quarto, a embriaguez diminuir ou desaparecer quando você acordar, pergunte ao vento, à vaga, à estrela, ao pássaro, ao relógio, a tudo que flui, a tudo que geme, a tudo que gira, a tudo que canta, a tudo que fala, pergunte que horas são; e o vento, a vaga, a estrela, o pássaro, o relógio responderão: É hora de embriagar-se!

Para não serem os escravos martirizados do Tempo, embriaguem-se; embriaguem-se sem descanso. Com vinho, poesia ou virtude, a escolher.

Fim do poema

Veja o poema O Estrangeiro de Baudelaire.

Vídeo do poema Embriague-se, de Baudelaire

O excelente vídeo abaixo mostra Aldo Bastos declamando o poema de Baudelaire. Recomendo que você assista, realmente vale a pena!


Poema Embriague-se – de Charles Baudelaire

Compartilhe o poema Embriague-se de Baudelaire

Veja a linda crônica Recado de Primavera, escrita por Rubem Braga para Vinicius de Moraes.

Bom, vocês viram o poema original em francês “Enivrez-vous” e a sua tradução para o português, Embriague-se.

Espero que tenham gostado e sigam a recomendação de Baudelaire. Embriaguem-se. Com vinho, poesia ou virtude. A escolher!

Esse poema nos chama para a vida, para as coisas, para perto das pessoas. Baudelaire nos diz para não deixar nada para depois, para se entregar e viver intensamente.

Compartilhe o poema Embriague-se de Charles Baudelaire em suas redes sociais e deixe o seu comentário no final dessa pagina!

Veja o genial poema de Vinicius de Moraes, Balada do Mangue.

 

Embriague-se de Baudelaire
Fragmento do poema Embriague-se de Baudelaire

Veja o Poema Elegia 1938 de Drummond.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *