Vou me Embora pra Pasárgada

Vou me Embora pra Pasárgada

O poema Vou me Embora pra Pasárgada de Manuel Bandeira caiu no gosto popular e talvez seja o poema mais conhecido do autor.

Suas interpretações são tantas e elas são tão diferentes entre si, que eu prefiro deixar isso a cargo de quem lê essa bela joia da poesia brasileira.

Vou-me embora pra Pasárgada
Lá sou amigo do rei
Lá tenho a mulher que eu quero
Na cama que escolherei
– Fragmento do poema Vou me Embora pra Pasárgada de Manuel Bandeira

Veja o genial poema de Vinicius de Moraes, Balada do Mangue.

Poema Vou me Embora pra Pasárgada

Vou-me embora pra Pasárgada
Lá sou amigo do rei
Lá tenho a mulher que eu quero
Na cama que escolherei

Vou-me embora pra Pasárgada
Vou-me embora pra Pasárgada
Aqui eu não sou feliz
Lá a existência é uma aventura
De tal modo inconseqüente
Que Joana a Louca de Espanha
Rainha e falsa demente
Vem a ser contraparente
Da nora que nunca tive

E como farei ginástica
Andarei de bicicleta
Montarei em burro brabo
Subirei no pau-de-sebo
Tomarei banhos de mar!
E quando estiver cansado
Deito na beira do rio
Mando chamar a mãe-d’água
Pra me contar as histórias
Que no tempo de eu menino
Rosa vinha me contar
Vou-me embora pra Pasárgada

Em Pasárgada tem tudo
É outra civilização
Tem um processo seguro
De impedir a concepção
Tem telefone automático
Tem alcaloide à vontade
Tem prostitutas bonitas
Para a gente namorar

E quando eu estiver mais triste
Mas triste de não ter jeito
Quando de noite me der
Vontade de me matar
— Lá sou amigo do rei —
Terei a mulher que eu quero
Na cama que escolherei
Vou-me embora pra Pasárgada.

Fim do poema Vou me Embora pra Pasárgada.

Veja a linda crônica Recado de Primavera, escrita por Rubem Braga para Vinicius de Moraes.

Vídeo do poema Vou me Embora pra Pasárgada

No vídeo abaixo, Manuel Bandeira declama o poema. Recomendo o vídeo!


Manuel Bandeira declamando o poema Vou me embora pra Pasárgada

Compartilhe o poema Vou me Embora pra Pasárgada

Veja o Poema em Linha Reta de Fernando Pessoa.

Você já conhecia esse belo poema de Manuel Bandeira? Então curta e compartilhe, e não esqueça de deixar o seu comentário no final dessa pagina!

Veja o Poema Elegia 1938 de Drummond.

Vou me Embora pra Pasárgada de Manuel Bandeira
Vou me Embora pra Pasárgada de Manuel Bandeira

 
Veja o poema Embriague-se, de Baudelaire.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *